Sobre estatística e evidências empíricas no século XIX

A evidência empírica não importa.

Trecho do livro Elementos de Estatística, de Sebastião Ferreira Soares, de 1865. Possivelmente a primeira obra brasileira sobre a aplicação da teoria estatística aos dados comerciais do Brasil. O autor discute um ponto que ainda é relevante na historiografia brasileira e nos lembra (sendo um contemporâneo) os limites da utilização de discursos políticos para validar hipóteses em história econômica.

__________________

Ora’, se existisse uma bem elaborada estatística, os argumentos, por analogia, só serão trazidos por comparação, e não como principais ; porque as instruções analógicas são quase sempre falíveis, visto que difícil é concorrerem as mesmas causas e circunstâncias em países diversos, e produzirem iguais efeitos.

Raros são os escritos publicados entre nós sobre à aplicação das teorias econômicas, e isto porque só em vista dos fatos enumerados por bem elaboradas estatísticas, podem ser determinados os resultados obtidos das teorias aplicadas, os quais, sendo convenientemente analisados e comparados, poderão confirmar a utilidade dos princípios postos em ação, ou aconselhar a sua modificação, a fim de surtirem os efeitos desejados.

Em 1859, no recinto da câmara temporária, foi descrito o país, como marchando para um abismo, no qual infalivelmente tinha de despenhar-se. Cidadãos autorizados por seus reconhecidos talentos disseram que a nossa produção agrícola definhava por falta de braços depois da cessação do trafico dos africanos; e até afirmaram que as fontes da riqueza particular e publica tendiam a esgotar-se em breve tempo.

Estas inconsideradas proposições, lançadas no calor dos debates, por certa forma abalarão o nosso credito no exterior, e os fundos públicos brasileiros baixarão muito nas suas cotações na bolsa de Londres.

Com a intenção de prestar um bom serviço ao meu país, e combater o mau efeito produzido por alguns discursos dos nossos parlamentares, cujas apreciações sobre a nossa produção agrícola eram menos exatas, escrevi e fiz publicar no Jornal do Commercio uma serie de artigos baseados sobre os dados oficiais das nossas exportações, nos quais demonstrei até a evidência que a produção agrícola do Brasil-, marchava com lisonjeiro progresso, principalmente depois da cessação do tráfico de africanos.

Demonstrei que no país não havia falta de braços […]

______________________________

Advertisements

1 Comment

Filed under Uncategorized

One response to “Sobre estatística e evidências empíricas no século XIX

  1. Pingback: História Econômica | De Gustibus Non Est Disputandum

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s